Saiba mais sobre a norma que prevê o uso de sprinklers


O sprinkler é um dispositivo que geralmente compõe o sistema de combate a incêndios, e funciona liberando água sempre que for detectada a presença de uma temperatura considerada elevada — que é determinada previamente. Similar a um chuveiro, este mecanismo é um Equipamento de Proteção Coletiva (EPC) usado em todo o mundo, e estima-se que 40 milhões de sprinklers sejam instalados a cada ano.

Em geral, o sprinkler pode ser instalado no nível do teto ou nas paredes de um local, funcionando da seguinte forma: o dispositivo é composto por um elemento sensível ao calor, que foi projetado para ser ativado quando o ambiente chegar a certa temperatura. Este item é chamado de bulbo, e fica localizado na ponta de uma tubulação pressurizada, travando sua saída. Dentro do bulbo, existe um líquido que se expande quando atinge uma temperatura elevada, rompendo a cápsula e liberando a água.

A água sai do sprinkler em forma circular, como um guarda-chuva, e pode cobrir uma área de até 16 m². Geralmente, é preciso instalar vários sprinklers para cobrir toda a área de um local. Cada um desses dispositivos é ativado individualmente e, por isso, não existe o risco de um deles começar a jorrar água quando o fogo estiver em outro lugar do prédio. É importante lembrar que esse dispositivo não é acionado por fumaça ou qualquer outro elemento além da temperatura.

Existem diversos tipos de sprinklers: tubulação molhada, tubulação seca, sistemas de dilúvio, sistemas de aspersão de água de espuma, spray de água e sistemas de névoa de água. Cada um deles deve ser usado levando em consideração o prédio e o que existe nele: o sistema de combate a incêndio de uma fábrica, por exemplo, certamente será diferente do sistema de um museu.

Vantagens do uso de sprinklers

  • Bastante econômico;
  • Eficiente, diminuindo os danos e prejuízos em caso de incêndio;
  • Não dependem da ação humana e, por isso, apresentam eficácia imediata e menos riscos de falhas;
  • Gasta menos água do que a ação dos bombeiros;
  • Resposta muito rápida;
  • Causa menos danos do que o jato de água usado por bombeiros.

O que a legislação diz a respeito do uso de sprinklers?

No Brasil, cada estado define a obrigatoriedade do uso de sprinklers, geralmente levando em consideração a altura do edifício, sua área e o tipo de atividade da edificação. A exigência é mais comum em alguns tipos de ocupações, tais como: hospitais, indústrias, hotéis, depósitos, edifícios de escritórios e prédios comerciais.

A norma NBR 10897:2014 estabelece os requisitos mínimos para fazer um projeto e a instalação de sprinklers, levando em consideração elementos como suprimento de água, conexões, tubos, válvulas e seleção dos sprinklers. Em geral, as recomendações básicas são:

  • Os sprinklers devem estar distribuídos por toda área que deve ser protegida;
  • É preciso definir a dimensão da tubulação segundo o risco a ser protegido;
  • Também de acordo com o risco do prédio a proteger, fazer o cálculo da área máxima por chuveiro automático, sem exceder esse número;
  • A localização do sistema em relação ao teto deve ser levada em consideração, para evitar que obstruções interfiram na descarga de água quando o dispositivo for acionado.

Entre em contato com a Help e saiba tudo sobre segurança contra incêndios. 

 

Veja também:
Saiba quais são os tipos de bombas d'água
Extintores de incêndio e sua importância
O que acontece com a descarga elétrica quando atinge um para-raio?